Início » Um personagem gay incomoda muita gente

Escrito em por & arquivado em Angelo, Artigos.

Há pouco mais de uma semana, a Riot Games, produtora do game de sucesso League of Legends, confirmou que mais um de seus personagens é gay. O anúncio foi feito por meio da divulgação de uma animação, que mostra Valmar tentando salvar a vida de seu amado se fundindo com uma entidade Darkin. Esta informação também foi confirmada em uma HQ do game lançada junto com o vídeo.

O clipe em si é bem sútil. Apesar de deixar claro o afeto entre Valmar e Kai, não rola um beijo apaixonado ou carícias intímas – até porque eles estavam no meio de uma batalha, né?

Porém, isso foi motivo suficiente para os homofóbicos de plantão inventarem mil e um motivos para negar a sexualidade de Varus. “As pessoas confundem amizade com afeto gay”, comentou um jogador. “Prefiro pensar que são dois irmãos”, disse outro esperançoso. Alguns chegam a dar um show ainda maior de ignorância, afirmando que eles não aguentam mais a “ideologia de gênero”. Mas o fato é que Varus é gay, e indo direto ao ponto, aceita que dói menos.

 

Eles são irmãos galera, fiquem tranquilos.

Foi a mesma reação de muita gente no fim do ano passado, quando a Blizzard revelou que Tracer, a personagem da CAPA do jogo, era lésbica. Lançando também uma HQ com beijo e tudo. É até curioso ver como parte da sociedade acha que os LGBTs são invisíveis, ou seres místicos que surgiram no século XXI para a destruição da humanidade. Nós sempre estivemos aqui, independentemente da época. A diferença que agora temos voz, algo que vem sendo negado há um bom tempo.

 

Mas para um homofóbico admitir isso para si é muito difícil, pois a construção desse pensamento foi feita de forma minuciosa, durante os últimos dois mil anos. Por mais conquistas que existam hoje, o caminho que temos que trilhar ainda vai ser muito difícil e repetitivo.

 

Leia mais: A homofobia e a indústria dos games

 

Isso também não quer dizer que essas mesmas conquistas não possam ser comemoradas, prova disso também é a enxurrada de comentários positivos elogiando a atitude da Riot. Muitos preconceituosos nem mostram mais o rosto para despejar estrume nos comentários com medo de retaliações.

 

Tem nem como defender um jogo assim quando o povo dizer que lol é jogo de viado, desisto.”

 

Enquanto não formos enxergados como pessoas e comentários como estes forem extintos, continuaremos aparecendo não só em games, mas em outras mídias. Até o dia em que ver um personagem gay na TV, no livro ou nos jogos não seja motivo pra reclamar ou ganhar as manchetes dos sites especializados.

 

The following two tabs change content below.

Angelo Prata

Jornalista apaixonado pela arte do século XXI chamada de videogame. Tentando melhorar a internet um post de cada vez, este sagitariano que vos fala tem dificuldades em escolher um jogo favorito. As séries Super Mario, Resident Evil, Donkey Kong e Mass Effect estão no top da minha lista imaginária e sim, sou fã da Nintendo!