Início » Destrinchando: Resident Evil – O Hóspede Maldito

Escrito em por & arquivado em Angelo, Artigos, Game Movies, Sem categoria.

Em nossa primeira série especial, o Gayme Over irá destrinchar os cinco filmes de RE. Nesse post contaremos curiosidades da produção, erros de enredo, continuidade e faremos comparações com o game numa análise detalhada de cada título lançado até o momento, apontando os erros e acertos nos longas do diretor Paul W. S. Anderson.

 

Nesse post nos comprometemos em dizer a verdade, nada mais que a verdade mesmo que possa irritar alguns fãs dos filmes e dos jogos!

Verdade Rupaul

 

Nesta primeira parte temos como destino a cidade de Raccoon City, mais precisamente o laboratório secreto chamado de Colmeia! Então prepare-se e venha conosco nessa viagem turbulenta que são os 14 anos de Resident Evil no cinema!

 

 

Parte 1 – A Noite do Romero na Jogatina

Com o segundo game da franquia lançado em 1998, não demorou muito para Capcom começar a ver o potencial de marca que RE possuía e logo tratou de encomendar um filme baseado nos jogos. Na mesma época, o primeiro a ser cotado para escrever o roteiro foi o pai dos zumbis George Romero (A Noite dos Mortos Vivos), ele havia dirigido um comercial de RE 2 e sua experiência com zumbis o fez a pessoa mais indicada para tal tarefa.

 

Se liga no comercial dirigido pelo Romero:

Infelizmente (ou não) o roteiro foi descartado por não atingir o nível desejado pela Constantin Film, produtora da adaptação.

O roteiro de Romero nos apresentava um Chris nativo-americano, que vivia na floresta de Raccoon City criando suas águias de estimação, além de ter crescido na mansão Spencer e conhecer todas as passagens secretas para ajudar os S.T.A.R.S a passarem pelas armadilhas. Esse é o ponto mais diferente da história original, não significando que o filme seria bom, muito pelo contrário, teríamos um filme tão trash quanto as antigas obras feitas pelo mestre dos zumbis.

 

66ème Festival de Venise (Mostra)

 

É importante lembrar que Romero não é um aficionado em games, por tanto, mesmo com um roteiro mais fiel ao jogo dificilmente o produto final agradaria aos fãs, criando mais um longa para entrar na lista de adaptações ruins.

O roteiro completo está disponível e traduzido em português para quem quiser se aventurar.

Após a rejeição, o jeito foi procurar outra pessoa que não era experiente com zumbis, mas um gamer que já havia adaptado uma das franquias mais adoradas do mundo para o cinema, com resultado que agradou gregos e troianos.

 

1.2 – O Hóspede Maldito

Após um tempo na gaveta, o projeto finalmente voltou a engrenar com a escolha de Paul W. S. Anderson (Mortal Kombat) como roteirista e diretor do longa. Ele e seu amigo, Jeremy Bolt, haviam criado a produtora Impact Pictures em 1992 e fizeram uma parceria com a Constantin Film para trabalharem na adaptação do jogo.

 

Aqui o chamaremos carinhosamente de Paulzinho!

 

Diferente de Romero, Paulzinho jogou os três games da saga principal antes de iniciar o roteiro. Com isso ele percebeu que os jogos não contam (até então) qual era a origem da infecção pelo T-virús, nesse detalhe ele viu a oportunidade de criar uma história original, com novos personagens, que pudesse preencher esse vazio na saga.

 

Paul Anderson e Milla Jovovich

 

Foi assim que nasceu Alice (Milla Jovovich), a protagonista sem sobrenome que dividiria o universo de RE para sempre. A atriz já disse em entrevistas que quando fez o teste pensou que seria a Jill Valentine e só depois descobriu que a personagem foi criada exclusivamente para o filme, por se tratar de uma história ainda não contada nos games.

Para relembrar a história do primeiro filme, que conta as origens da infecção vejamos o trailer novamente:

A Colmeia é um laboratório subterrâneo onde cerca de 500 pessoas trabalhavam realizando experiência ilegais com o T-vírus, uma arma biológica capaz de reviver os mortos e causar mutações.

O vírus é roubado e o ladrão joga um frasco propositalmente no chão, o que faz com que acabe vazando pelo ar e causando uma infecção em massa.

t virus

O laboratório é controlado por uma inteligência artificial de alta tecnologia (ou nem tão alta assim) chamada de Rainha Vermelha. Ao descobrir que o vírus caiu no chão e todo mundo estava ferrado o que ela fez?

A. Selou o laboratório enviando uma mensagem de alerta para o pessoal de fora sobre o ocorrido?

B. Procurou as filmagens de quem havia feito isso e há quanto tempo a infecção ocorreu para verificar a possibilidade de enviar as imagens do culpado para outra instalação da Umbrella fazendo com que fiquem cientes do acontecido, além de selar o laboratório?

C. Somente avisar o que fez para a Umbrella enviando imagens dos mortos vivos caminhando pelo laboratório e esperar para eles resolverem a bagunça.

D. Matar todo mundo e cruzar os braços pois a infecção estaria contida e ninguém nunca iria tentar saber o que aconteceu ou enviar alguém para descobrir?

 

Quem assistiu percebeu que a Rainha Vermelha não é o computador mais inteligente, é até muito estranho colocarem uma IA no comando de uma instalação onde é feito o manuseio de vírus altamente contagiosos nos quais planos de contenção deveriam ser, em tese, o básico de sua programação.

 

E essa foi somente a introdução do filme que ainda nos traz diversas surpresas…

 

Enquanto isso no jogo…

Resident-Evil-Zero

 

A origem do incidente na mansão foi explicado em Resident Evil Zero, título lançado meses após o primeiro filme com exclusividade para Game Cube. Nele acompanhamos os protagonistas Rebecca Chambers e Billy Coen.

Rebecca é membro de um esquadrão especial chamado de S.T.A.R.S, que foram acionados para resolver os estranhos assassinatos que aconteceram nos arredores da cidade, as vítimas foram devoradas por criaturas desconhecidas. O helicóptero da equipe sofre uma pane e faz um pouso forçado no meio da floresta, lá eles encontram um jipe militar com os soldados mortos junto com o arquivo de Billy Coen, um soldado condenado à morte pelo assassinato de 23 pessoas.

Durante a investigação os dois se encontram e começam a se ajudar para escaparem das instalações da Umbrella com vida.

 

1.3 – Alice no país da zumbilândia

Se já não bastasse a decisão super inteligente que a Rainha Vermelha fez no início do filme, ela ainda solta um gás sonífero na mansão que serve como fachada para uma entrada secreta da Colmeia. Lá conhecemos Alice, a garota sem sobrenome que está sem memória devido aos efeitos colaterais do gás.

Ela acorda sem saber o que está acontecendo e é surpreendida por Matt, interpretado pelo gostoso Eric Mabius. Ao mesmo tempo, chega o time de soldados da Umbrella para saber o que se passa com esse computador maluco e todos entram no laboratório. Logo que pegam o trem para chegar no local (fica alguns quilômetros abaixo da terra) encontram mais um sobrevivente, que também não lembra do nome, só para variar. Alice vai tendo uns flashbacks e lembra que é casada com esse outro sobrevivente, mas fica na sua para tentar entender tudo melhor.

 

Alice no chuveiro

 

Chegando na entrada da câmara da Rainhha Vermelha, o hacker da equipe tenta abrir a porta e nem conhece todas as defesas do computador. O que é super normal, afinal de contas é compreensível enviar alguém para desligar um computador assassino sem mostrar para o cara tudo o que a máquina pode fazer. Então, continuemos…

Ao abrir a porta metade da equipe entra em um corredor todo trabalho no vidro e nas lights no melhor estilo Ellie Goulding, só que não contavam com a astúcia do Killer Computer que os prende lá dentro e começa a fazer picadinho de cada um deles.

 

Pausa para revermos a melhor cena do filme:

Depois disso todo mundo fica com as calças borradas e cabe a incrível Alice criar coragem e ir até a CPU da Killer Queen para desligá-la. Enquanto eles montam a aparelhagem um holograma da Rainha Vermelha surge. Ela tenta explicar a situação com a seguinte frase: “vocês têm que sair”.

 

Oi….? Essa IA é tão mal feita que ela nem consegue dizer “Fujam para as colinas o vírus vazou”.

 

Obviamente, depois dela ter matado metade da equipe ninguém acredita e continuam a montar os aparelhos enquanto a assassina resmungava: “me desligar acarretaria na perda de energia central”. Sem muita conversa, l hacker termina o dispositivo que vai dar um choque no sistema da Rainha e antes de apertarem o botão, focam o close na cara da demônia que dispara a frase mais icônica da saga:

 

rainha vermelha

“Vocês todos vão morrer aqui”

 

Tudo se apaga e as portas com a zumbizada se abrem…

 

Enquanto isso no jogo…

resident evil remake

 

No fim de RE 0, Rebecca e Billy sobrevivem seguindo caminhos separados, Billy tem que viver como fugitivo devido ao crime que não cometeu e Rebecca precisa continuar sua missão em busca de respostas.

A equipe Alpha dos S.T.A.R.S é enviada para resgatar o time que se perdeu na floresta, entre os membros estão Jill Valentine e Chris Redfield. Ambos farão aparições nos filmes posteriormente.

Durante a investigação a equipe Alpha descobre a localização do helicópitero da equipe Bravo, mas são atacados por cães carnívoros e são obrigados a entrar em uma misteriosa mansão que pertence à Umbrella. Lá eles descobrem todos os podres da corporação derrotando diversas armas biológicas e lendo arquivos sobre o que aconteceu naquele local.

Albert Wesker é o líder do time Alpha, mas estava infiltrado. Ele revela que estava trabalhando para a Umbrella e que sua real missão era impedir que o incidente viesse a público.

 

1.4 – E agora?

Logo os personagens descobrem que cometeram o maior erro de suas vidas e são atacados pelos zombies. Após um tiroteio tenso em que ninguém tenta atirar na cabeça dos monstros – porque no universo dos filmes de zumbi ninguém assiste filme de zumbi – eles retornam à câmara da Rainha Vermelha para obter explicações. Como essa é IA é muuuuuito inteligente, só ai ela resolve contar o que está acontecendo e como matar as criaturas. Ela informa uma rota de fuga para os heróis pois eles a ameaçam de desligá-la para sempre se não colabora-se.

Em uma das conversas entre Matt (o tal policial) e Alice, ele conta que é um ativista e que sua irmã estava infiltrada na Colmeia para roubar o vírus e expor a corporação. Alice era o contato dela, mas algo deu errado e ocorreu o incidente antes que ela pudesse roubar o experimento.

 

matt resident evil

 

Mais tiroteios ocorrem, o hacker acaba ficando para trás e a equipe deve continuar para sairem a tempo, pois a porta foi programada para ser selada em três horas caso eles não consigam sair, a ideia era conter o incidente mesmo que custe a vida dos soldados.

Agora você se pergunta: se a Umbrella sabia do incidente, por que não avisou os soldados? E por que cargas d’água enviou só meia dúzia de cientistas para abrirem o laboratório no segundo filme? Esse é um furo grave na história de Paulzinho e fica cada vez mais inconsistente, porém, não vamos nos apressar porque ainda tem muito chão pela frente.

 

Nazaré indecisa

 

Durante o trajeto um membro da equipe, mais especificamente a Rain <3 (Michelle Rodriguez) é mordida uma dúzia de vezes e está quase indo pro saco. Eis que, Alice tem o flashback mais útil de sua vida e lembra que existe um anti-vírus.

Quando chegam no local para conseguir a cura, descobrem que o ladrão também a levou (Ah vá, é mesmo?) e eis que o marido de Alice tem o único flashback durante o filme todo em que ele lembra tudo de uma vez.

 

spence lembrando

 

Spence (nome do maridão) escutou uma conversa de Alice com a irmã de Matt e iria ajudá-la a pegar o vírus para acabar com os experimentos do mal. Eis que o espertão resolveu roubá-lo antes para vender e ficar rico, causando a infecção geral para ninguém persegui-lo. Alice fica possessa da vida, mas o vilão consegue escapar com uma mordidinha básica no pescoço.

A Red Queen Bitch resolve falar com os aprisionados, revelando que um dos experimentos conseguiu escapar. Chamado de Licker, o monstrão só aparece no segundo jogo, mas ok, o filme e o jogo são diferentes a gente já entendeu. Continuemos…

Antes de conseguir se curar o maridão é devorado pelo monstrengo e a Rainha revela que não disse nada sobre o Licker pois não acreditava que eles chegariam tão longe e que, mais cedo ou mais tarde, o bicho mataria todo mundo.

 

licker

 

O maridão havia atirado na trava da porta e a Rainha diz que só irá revelar o código para abrir se o grupo matar a pessoa infectada, que no caso é a Michelle Rodriguez (poor Michelle). Alice pega o machado e fica sem saber o que fazer, enquanto o monstro tenta forçar sua entrada na sala onde estão presos. De repente, as luzes se apagam e a porta se abre… Era o hacker, ele usou o dispositivo para fritar os circuitos restantes da Rainha vermelha e poderem fugir.

 

alice matando a Rain

 

Eles injetam o anti-vírus na Rain, mas a coitada foi mordida tantas vezes que não teve efeito. O Licker ataca o trem no qual estão fugindo, sendo que agora ele está mais rápido e mais forte devido ao DNA que ingeriu (isso é uma particularidade do filme). O bichão mata o hacker e arranha o Matt, depois de uma batalha bem legal somente Alice e Matt conseguem sair.

Nossa heroína começa a se lamentar pelas mortes do pessoal que ela mal conhecia mas já considerava pacas e Matt tenta consolar essa bad. Do nada, Matt começa a se transformar e antes que consigam curá-lo a equipe médica da Umbrella chega e sequestra os dois. O chefe médico coloca Matt no programa Nemesis e começa a realizar experimentos em ambos.

O filme termina em uma cena suber badass na qual Alice acorda nudes no hospital de Raccoon City e tudo está destruído. Já conseguimos adivinhar o qual é o gancho para o próximo, né? Que danada essa Umbrella!

 

alice final

 

Como o jogo termina

resident evil remake final

 

O primeiro game termina com a fuga de Rebecca (da equipe Bravo), Chris, Jill e Barry (da equipe Alpha). Porém, a mansão foi destruída em uma explosão e com ela todas as provas que incriminam a corporação. Cabe agora aos sobreviventes tentar provar os terríveis experimentos ilegais que eram feitos na propriedade da Umbrella.

 

Errar é humano

Erros de continuidade acontecem com frequência e os filmes de RE não são exceção. Você confere alguns agora:

 

Logo na cena de abertura, quando o maridão joga o frasco com o T-vírus, o vidro bate na quina da mesa se partindo em dois. O problema é que alguém andou futucando os cacos de vidro tudo! Olha só:

Erro Vírus

A primeira imagem mostra o vírus no inicio do filme, abaixo vemos a queda durante o flashback do maridão

 

Já num basta ser um vírus mortal, tem que ir lá cutucar?

 

Ao encontrarem o maridão, Alice tem o flashback de seu casamento e tira sua aliança para dar uma olhadinha, ela percebe que está escrito “propriedade de Umbrella Corporation” na parte interna do anel, pois o casamento era forjado para os dois protegerem a entrada secreta.

Entretanto, quando o maridão está transformado em zombie ela o mata com uma machadada na cabeça e joga sua aliança no chão. E adivinhem? Não tem nada escrito!

Erro Alianças

 

Na cena em que estão discutindo sobre religar a Rainha Vermelha, um close bem descarado é dado no corredor dos lasers (onde o povo foi picotado) e não tem nada lá! Nem um resto de braço, sangue, nada! O corredor está limpinho.

Entendemos que zumbis levantam e saem andando por aí, mas até os que estão sem cabeça? E teoricamente falando, o esquadrão suicida entrou ali depois, ou seja, eles não estavam infectados.

Erro Corredor

A primeira imagem mostra o corredor logo após desativarem o laser, abaixo é mostrado depois de desligarem o computador

 

 

Curiosidades “malditas”

1. O filme foi gravado na Alemanha;

2. Os maquiadores disseram que foi muito difícil trabalhar com os cães, porque eles lambiam toda a maquiagem;

3. Michelle Rodriguez é gamer de carterinha e até encarou participar do filme Blood Rain, que também é uma adaptação de um game, mas o filme é tão zoado que é considerado um tutorial de como fazer um longa metragem da maneira incorreta;

4. O orçamento do filme foi de US$ 40 milhões, considerado alto para um filme de terror, conseguindo arrecadar cerca de US$ 100 milhões em bilheteria;

5. Antes de RE, não estreava um filme de zumbi no cinema por pelo menos 15 anos;

6. Paulzinho e Milla Jovovich começaram a namorar durante as filmagens, hoje são casados e têm dois filhos;

7. Anderson se arrependeu de matar a personagem de Michelle logo no primeiro longa, mas o arrependimento passou depois de ver o visual incrível dela zumbificada! Ao que parece o arrependimento voltou e ela aparece novamente no quinto filme;

8. Existe um trailer fake de RE rolando no youtube há um tempão e as pessoas acreditam que é real, se você ver o vídeo abaixo com o título de RE7, 8, 9, etc, não se desespere! Ele é o final alternativo do primeiro longa, no qual Alice consegue escapar e tenta resgatar o Matt;

 

9. Paulzinho se inspirou fortemente no conto de “Alice no País das Maravilhas” e existem várias referências durante o filme:

 

Começando pelo mais óbvio, o nome da protagonista é Alice

 

Ela acorda nudes no banheiro e o piso é bem semelhante com o do filme da outra Alice.

 

Alice Referência piso

 

Aliás, toda essa ideia de não saber quem é e ter que entrar em um “buraco” para se auto-conhecer enfrentando diversas criaturas já é outra referência;

A Rainha Vermelha faz referência a personagem de mesmo nome do conto de fadas. Na cena em que ela pede para matarem a pessoa infectada, Rain se posiciona de forma que Alice corte sua cabeça com o machado;

Durante os flashbacks de Alice, ela relembra de diversos experimentos do laboratório que foram feitos com coelhos.

 

referência coelho

Vale a pena?

Por mais incoerências que existam, “O hóspede Maldito” é o filme que mais se aproxima da essência do game. Na primeira vez que assisti, fiquei vidrado na tela para tentar descobrir quem roubou o maldito vírus e o desenrolar da história possui um ritmo bem equilibrado. Destaque para a cena de abertura que deixa qualquer um curioso pra saber o porquê de tanta carnificina.

As cenas de ação e terror estão na medida certa e a trilha sonora é sensacional, o clima dark do universo de RE já é transmitido logo na música de introdução.

O problema é que nos próximos filmes Paulzinho acaba destruindo a chance de se entender com os fãs da série deixando o enredo cada vez mais raso e sem sentido. Nas próximas análises irei apresentar outros pontos do porquê a franquia criada por PA não passa de um filme de ação mediano e uma péssima adaptação de videogame.

O post ficou bem comprido mas eu espero de verdade que tenham curtido, ele foi o que mais deu trabalho qui no blog e por isso peço que, se gostaram, não deixem de compartilhar.

 

 

Comente o que você achou do especial e se você concorda com os argumentos apresentados, participa aê pô! Nunca te pedi nada!

 

 

The following two tabs change content below.

Angelo Prata

Futuro jornalista apaixonado pela arte do século XXI chamada de videogame. Tentando melhorar a internet um post de cada vez, este sagitariano que vos fala tem dificuldades em escolher um jogo favorito. As séries Super Mario, Resident Evil, Donkey Kong e Mass Effect estão no top da minha lista imaginária e sim, sou fã da Nintendo!